#Dica: Chico Buarque, letras, histórias e canções

A dica de hoje é um livro sobre um tema maravilhoso: letras da músicas de Chico Buarque! O livro Chico Buarque: histórias de canções, lançado em 2009 pela Editora Leya, Wagner Homem nos apresenta uma série de histórias (anedóticas) que envolvem os bastidores das canções do Chico.

EpisódWIN_20150318_231351ios curiosos (verdadeiros ou não) que o autor colecionou ao longo de anos de amizade e que enriquecem o imaginário do leitor que admira o compositor e suas canções.

As letras são apresentadas de forma contextualizada com os episódios que marcaram a história recente do Brasil, de 1964 a 2009, período das canções que aparecem no livro.

Wagner Homem é também o curador e editor do site oficial do compositor, outra excelente dica.

O livro é um deleite para fãs e admiradores da obra musical de Chico Buarque.

Anúncios

Prêmio Off Flip de Literatura 2015

header_2015Estão abertas as inscrições para a Edição 2015 do Prêmio Off Flip de Literatura. A premiação é um incentivo à prática da escrita e oportuniza a novos escritores terem seus trabalhos premiados e divulgados. Além de estadia em Paraty durante a Flip, que este ano ocorrerá no período de 01 a 05 de julho, os vencedores ganharão também passeios de escuna, cota de livros, e premiações em dinheiro.
Os textos concorrentes serão avaliados por escritores brasileiros e os vencedores participarão de mesa de debate na Off Flip das Letras. Os selecionados em conto e poesia serão publicados em coletânea e os autores das obras vencedoras no gênero infantojuvenil firmarão contrato de edição com o Selo Off Flip. O sarau de premiação acontecerá no Centro Cultural SESC Paraty no dia 4 de julho, durante a Festa Literária Internacional de Paraty.
As inscrições poderão ser feitas até o dia 24 de março, pelo correio. Outras informações, depoimentos, vídeos, assim como o regulamento completo podem ser acessados através do site do Prêmio Off Flip 2015: http://www.premio-offflip.net/

Liebster Award

liebsterHá alguns dias a Jessica Leite, do Livros da Jess me indicou para participar da brincadeira do Liebster Award (Tag 11 Coisas). A brincadeira ajuda na interação entre os blogueiros que vão conhecendo algumas características uns dos outros. As regras da Tag são:
– Publicar uma lista com 11 coisas a seu respeito
– Responder às 11 perguntas feitas por quem o indicou
– Fazer 11 perguntas a outros blogs
– Indicar 11 blogs com menos de 200 seguidores para responder as perguntas
– Linkar de volta quem o indicou

Começando…

*******

11 coisas sobre mim

1. Adoro pesquisar, ler e escrever, mas infelizmente não tenho mais tanto tempo para isso.
2. Não gosto muito de tirar fotos, pois em cada dez, nove eu descarto.
3. A maioria dos meus artistas preferidos já passaram dos 60 anos.
4. Gosto de deixar as coisas arrumadas. Não chega a ser um TOC, mas quem tiver um armário, uma estante ou gaveta desorganizada, só me chamar!
5. Adoro viajar, mas morro de medo de avião. Mas, eu finjo que tenho coragem e encaro!
6. Meu atual sonho de viagem é conhecer a Itália!
7. Não sou fã de versões digitais. Ainda tenho o hábito de comprar CD, DVD, versões impressas de revistas, jornais, e livros.
8. Os avanços da tecnologia me fascinam e minha curiosidade me leva a descobrir relíquias na internet.
9. Tenho uma lista imensa de livros para ler, o que não me impede de sempre adquirir mais um, e mais outro…
10. Simplesmente, não tenho habilidades para cozinhar nada além do básico (arroz, feijão, ovo frito, um bife de vez em quando)!
11. Sou muito observadora e detalhista! E muito ansiosa também!

******

11 respostas ao Livros da Jess:

1. De onde você é?
São Luís, MA
2. Qual o seu maior sonho?
Fazer sempre o que eu gosto e poder viver disso
3. Por que você começou o blog?
Fiz este blog para suprimir um desejo antigo de juntar as coisas que eu mais gosto: escrita, pesquisa, e literatura.
4. Quantos anos você tem?
(posso pular essa? rsrs)
5. Você fez/faz faculdade de que? Se ainda está no colégio, qual curso você pretende fazer?
Sou formada em História, pela Universidade Federal do Maranhão
6. O que você mais gosta de fazer?
Ler, ouvir música, escrever…
7. O que você mais detesta?
Barulho
8. Sua música preferida?
Todo o sentimento (Chico Buarque). Chico Buarque é meu artista favorito. Admiro e conheço quase toda a obra dele. Mas, sou fã sem ser fanática! (será que é possível? 😉
9. Qual é o seu livro preferido?
Difícil essa! Mas um deles é: “Livro, um encontro com Lygia Bojunga”
10. Falar ou escrever?
Escrever
11. Uma palavra que defina você?
Reservada

*******

11 perguntas aos blogs

1. Onde você nasceu e onde você vive hoje?
2. Você lembra o primeiro livro que leu?
3. Por que decidiu criar o blog?
4. Qual a sua pior mania?
5. Se você pudesse passar um mês viajando, quais os lugares que estariam no seu roteiro?
6. Você costuma fazer lista de desejos para o ano novo?
7. O que mais o agrada nas pessoas?
8. Tem perfil nas redes sociais?
9. Foto ou vídeo?
10. Qual seus livros favoritos?
11. Você tem vontade de encontrar com algum escritor/artista pessoalmente?

******

Vou quebrar um pouquinho as regras! Não vou citar os 11 blogs, pois não sei quem já foi marcado com a tag. Então, quem ler o post e ainda não tiver participado, sinta-se como meu indicado!

Resenha #DLdoTigre: Nu, de botas (Antonio Prata)

FEVEREIRO (LIVRO 2) – TEMA: DIVERTIDO

Já tinha lido uma ou outra crônica do Antonio Prata em páginas de jornais na internet, mas não conhecia nenhuma obra sua até ano passado quando estive na Flip (Festa Literária Internacional de Paraty), em julho, e comprei um livro dele lá : Nu, de botas! E concluída agora a leitura, posso afirmar que não me arrependi.

Nu, de botas

São crônicas divertidíssimas que perpassam vários momentos (reais e/ou inventados) da infância do autor, na cidade de São Paulo. Num dos episódios, ele se esconde por horas depois de estragar a parede da garagem com uma faca, e só reaparece com a possibilidade real da mãe chamar a polícia para dar fim de seu sumiço, a criança pensou. O que se passou pela cabeça do menino e que fez com que ele desistisse da decisão de permanecer escondido por anos, é uma amostra das cenas divertidas que são desenhadas ao longo da narrativa:

“Eu conhecia a polícia pela TV: eles tinham cachorros treinados, lanternas, óculos para enxergar no escuro, era evidente que me encontrariam ali, depois achariam a faca enterrada no jardim, me poriam algemas e me levariam para a cadeia. Melhor me entregar antes que chegassem. Dizer que estava dormindo no lavabo, isso, que eu adorava dormir naquele cantinho, bem fresco, que não tinha ouvido ninguém me chamar. Quanto à parede da garagem: que que tem? Deixa eu ver… Nossa, que que foi isso?! Será que foi um gato, com as unhas? Um gato grande consegue, ué, ou dois gatos, um em cima do outro, saiba que eles fazem isso quando querem arranhar mais alto? Fazem sim, eu juro, eu já vil mil vezes! – Mãe?”

São outras situações tão ricas de humor quanto essa, e narradas como vistos pelos olhos da criança, mas com a perspicácia do narrador de hoje.
Vale muito a pena!

——–
Resenhado para o Desafio Literário do Tigre 2015 #DLdoTigre.